Quem sou eu

Minha foto
Poeta - escritor - cronista - produtor cultural. Professor de Português e Literaturas. Especialista em Estudos Literários pela FEUC. Especialista em Literaturas Portuguesa e Africanas pela Faculdade de Letras da UFRJ. Mestre em Literatura Portuguesa pela UFRJ. Nascido em Goiás, na cidade de Rio Verde. Casado. Pai de três filhos.

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Poema: "Um Mestre em cena: o segredo da liberdade" - Helton Tinoco

Eis um lindo presente de Natal que recebi.

Um Mestre em cena: o segredo da liberdade.
Helton Tinoco

Para Erivelto Reis
Ao entrar no palco ele muda o seu estado. Sai do cotidiano, do neutro, da cegueira diurna. Muda a postura, crispa os cabelos, levanta a sobrancelha esquerda. É prazer, é risco, é o inesperado. Caminha entre carteiras, vozes e sons. A platéia atenta! O silêncio e a passividade o assustam e irritam. Ele pensa: _Preciso tocar os corações! O cenário é ainda um quadro negro, murais e trabalhos pendurados formando um cubismo infantil de sonhos, esperanças e referências. O texto é decorado num planejamento, pensado, calculado. É tempo, é espaço, são procedimentos e recursos. A sua voz ecoa tão profundamente necessária e traz clareza. Tudo respeitando a diversidade dos sentidos, mas qual é o sentido? Na platéia: aqueles que não têm luz! Será? Uma platéia não pode ser passiva, não pode ser triste, nem alegre demais, ele diz. Uma platéia deve ser atenta! E cada respiração, cada gesto, nada deve ser em vão. Tudo pensado, calculado, ensaiado, no entanto, pronto para o improviso. Preparado para o risco! O único presente possível é a presença. Viva, instigante, revolucionária. Fazedora de pensar e que destrói lentamente antigas crenças, reinventa amores, recriando a nossa humanidade entre quatro paredes. A aula é uma cena que transcende aparências. É perder a vergonha! É ganhar na troca. É alegria e prazer, mas também, dores e rompimentos. Tudo sem amanhã e sem passado. É estar à beira do abismo e lançar-se sem certezas, com o coração cheio do dever de arriscar-se. Ele, o Mestre, ao mesmo tempo é ator, clown e mágico. É um tipo de gente que se expõe, convida e acolhe. Sobretudo, sem esquecer que o grande motivo de se estar ali é promover algo que brota ali, somente ali. É o segredo da liberdade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário