Quem sou eu

Minha foto
Poeta - escritor - cronista - produtor cultural. Professor de Português e Literaturas. Especialista em Estudos Literários pela FEUC. Especialista em Literaturas Portuguesa e Africanas pela Faculdade de Letras da UFRJ. Mestre em Literatura Portuguesa pela UFRJ. Nascido em Goiás, na cidade de Rio Verde. Casado. Pai de três filhos.

sábado, 30 de setembro de 2017

Poema: De Ar e Matéria - Para meu pai - Erivelto Reis

De ar e matéria
Erivelto Reis
Para meu pai.
Vai dormir, meu pai.
Avança sobre a luz do dia
A energia de tua força
De nunca ter desistido.
Aqui no mais longínquo país do mundo
Para se perder alguém
Me reencontro com tua memória
E tudo em mim é escombro
Dor e prisão.
Na viagem que fizeste
Pra bem mais longe do que esta minha de agora
O pranto de minha mãe, de meus irmãos
E dos que a ti queriam bem
É do tamanho da imensidão
De tudo que há
E cabe na lágrima – milagre do mínimo –
Átomo de nossa história
De teres tentado ser o melhor
Pai que podias
Para mim, que procurei sempre te dar orgulho
Descansa, meu pai.
“A saca de arroz” de agora
Sou eu que carrego…
E pesa uma tonelada de saudade sem fim.
Vai dormir, meu pai.

Nenhum comentário:

Postar um comentário