Quem sou eu

Minha foto
Poeta - escritor - cronista - produtor cultural. Professor de Português e Literaturas. Especialista em Estudos Literários pela FEUC. Especialista em Literaturas Portuguesa e Africanas pela Faculdade de Letras da UFRJ. Mestre e Doutor em Literatura Portuguesa pela UFRJ. Nascido em Goiás, na cidade de Rio Verde. Casado. Pai de três filhos.

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Poema: "Tantinho da Vida", de Erivelto Reis


Tantinho da Vida
Erivelto Reis

Martinho da Vila,
Martinho da vida...
Há mar nessa tua praia que são o Samba,
A Literatura e o que mais quiseres.
Martin Luther luta lá...
Mandela por África e por nós
E não é marketing,
Pela arte, segues o exemplo:
Em Lisboa, por aqui e em Luanda,
A tua música é boa, tua escrita encanta.
O mundo é tua Vila...
E a Vila é a Avenida em que sambas e te deleitas.
Onde encantas em Português, em Quimbundo.
Martinho canta, anda, luta e dança...
Devagar e com axé, pintaste tua aquarela,
Fizeste tua Ópera Negra, tua Kizomba...
Sem parar, deixas a tristeza pra lá.
Batuqueiro, na tua casa de bamba
Madalena, o ex-amor e as mulheres que tiveste,
São prova inconteste do quanto amaste, apesar e além da disritmia do amor.
Entre um e outro ato, ainda uma vez mais,
Elifas Andreato ilustraria a força de tua energia ao subir no palco,
Rodeado por deuses, musas e orixás.
Noel e Donga te reverenciariam, Ismael e Silas te aplaudiriam,
Tirariam a Cartola, tocariam pra ti um Pagodinho,
À sombra de um imenso e Nobre pé de Jamelão, de uma Mangueira,
Acompanhados por Neguinho de tua coirmã,
Por Paulinho da Viola, Arlindo Cruz, Nelson Cavaquinho,
Alcione, Beth Carvalho e Leci Brandão,
Jovelina, Clara Nunes e Dona Ivone Lara pronunciariam, em coro, o teu nome,
Irmanados para sempre no espaço lúdico-celestial do samba-(canção),
Fizeste da alegria a tua Porta-bandeira.
E, no entanto, tua humildade faz de ti
Semelhante ao passista mais apaixonado e anônimo,
Ao trabalhador mais simples que houver no barracão:
O samba é teu homônimo, é tua escola, tua raiz.
Canta, escreve e compõe, Martinho!
Que é pra deixar o meu povo
Um tantinho da vida mais feliz.


Um comentário:

  1. eu tinha lido este.
    não sei por que não ficou marcado. é o samba, não é?

    ResponderExcluir