Quem sou eu

Minha foto
Poeta - escritor - cronista - produtor cultural. Professor de Português e Literaturas. Especialista em Estudos Literários pela FEUC. Especialista em Literaturas Portuguesa e Africanas pela Faculdade de Letras da UFRJ. Mestre em Literatura Portuguesa pela UFRJ. Nascido em Goiás, na cidade de Rio Verde. Casado. Pai de três filhos.

domingo, 6 de outubro de 2013

Poema: Dual (Qual) Idade - Erivelto Reis



DUAL (QUAL) IDADE
Erivelto Reis 

O amor se comove com duas coisas distintas:
O gesto não feito e a palavra bem dita.
Laços desfeitos congelam a alma,
Se alguém vai embora,
Ou fica, em segredo, querendo partir.
A ausência vigia, a tragédia espreita,
E o amor nem suspeita que pode ruir...
Quem ri?
Da dor de si pela perda
Do que é outro e é amor
E, na verdade, até parece o ar...
O outro é o ar para o amor respirar?
Quem vai contra-argumentar?!
A perfeição do amor
Provém de sua imperícia,
Do susto, da plenitude
Do que é, em um, excelência,
E, no outro, é virtude.
O vento que move o moinho
E a vela, o toque na pele,
A carícia singela...
Não dá pra medir o amor de quem ama:
Quem ama em silêncio, quem brada e proclama...
Quem ama ao relento, quem ama na cama.
Duas coisas deixam o amor comovido
A vida vivida,
O tempo perdido...

Nenhum comentário:

Postar um comentário