Quem sou eu

Minha foto
Poeta - escritor - cronista - produtor cultural. Professor de Português e Literaturas. Especialista em Estudos Literários pela FEUC. Especialista em Literaturas Portuguesa e Africanas pela Faculdade de Letras da UFRJ. Mestre em Literatura Portuguesa pela UFRJ. Nascido em Goiás, na cidade de Rio Verde. Casado. Pai de três filhos.

domingo, 23 de outubro de 2016

Poema: Crusoé - Erivelto Reis - Com imagem

CRUSOÉ
Erivelto Reis - RJ


Não há bússola, barco, casa,
Válvula, remo e vela,
Rede, remendo, parede e janela
Que impeçam o sonho de naufragar,
Quando o amor acaba.
Ninguém desata o nó,
E a areia parece ser solidão em pó...
O mar é coletivo de distância e de profundidade,
É espelho do céu, que a gente diz que é saudade.
A dor é mágoa e fel
Que tanto mais mata de sede
Quanto mais deságua,
Quanto mais faz carga, barril e tonel.
No horizonte do sonho que naufraga,
Os olhos marejam o convés da cara...
E a gente sabe que tem âncora nos pés
Ao invés de asas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário